Notícias

Profissionais da contabilidade são homenageados em sessão do Senado Federal8 minutos de leitura

Por Lorena Molter

Comunicação CFC/Apex

Os mais de 500 mil profissionais da contabilidade foram homenageados, na manhã desta sexta-feira (30), em sessão solene virtual realizada pelo Senado Federal. O evento ocorreu em celebração ao 25 de abril, data em que se comemora o dia desses profissionais. A cerimônia reuniu representantes do Sistema CFC/CRCs e de organizações que compõem a classe contábil.

A solenidade foi iniciada com a apresentação de um vídeo institucional produzido pelo CFC, que destacou a atuação dos profissionais da contabilidade, os seus impactos na economia e no desenvolvimento sustentável do país e a sua essencialidade durante a pandemia.

Na ocasião, o senador Izalci Lucas Ferreira (PSDB-DF), autor da propositura da sessão, falou sobre as potencialidades das Ciências Contábeis. “O cidadão pode encarar a contabilidade como uma carreira, como um projeto de vida, uma das melhores opções de empregabilidade no Brasil, dada a imensa necessidade desses trabalhadores qualificados no mercado”, disse.

O evento virtual ainda incluiu uma contação de história em homenagem aos profissionais, apresentada por Nyedja Gennari, que narrou a história da contabilidade e as atividades da classe.

Dando continuidade à sessão, o presidente do CFC, contador Zulmir Breda, destacou as transformações na atuação dos profissionais da contabilidade no mercado de trabalho. “Com uma visão mais crítica e analítica, avançamos e conquistamos um grande espaço em áreas táticas e estratégicas das organizações, tornando-nos os principais assessores no processo de tomada de decisões. A tecnologia transformou-se numa grande aliada da nossa profissão, oferecendo maior agilidade e precisão nas informações. Hoje, a figura do profissional contábil se reafirma como um verdadeiro parceiro dos negócios, que orienta os gestores na escolha dos melhores caminhos para assegurar a sustentabilidade das empresas”, afirmou.

Breda ainda explicou o trabalho do CFC para tornar a profissão cada vez mais desenvolvida e atrativa no mercado de trabalho. O presidente ainda ressaltou a atuação da autarquia junto ao Legislativo no que diz respeito ao acompanhamento de proposições e à construção de matérias que necessitem do olhar técnico do contador. “Destacamos a Reforma do Código Comercial, pois o ambiente de negócios brasileiro precisa urgentemente passar por modificações que descompliquem e desburocratizem os processos, para estimular o empreendedorismo, o investimento e o crescimento econômico”, citou.

O contador também pontuou a importância da classe para a democracia brasileira. “Temos também a Reforma Eleitoral e o Conselho Federal de Contabilidade está entre as instituições que participa ativamente do debate, aqui no Congresso Nacional, visando ao aperfeiçoamento do processo democrático brasileiro, principalmente no âmbito da prestação de contas eleitorais. Como classe, estamos comprometidos com o controle social e, para dar credibilidade e transparência às contas eleitorais, a assinatura do profissional contábil é obrigatória e necessária, na prestação de contas de candidatos e partidos políticos”, salientou.

A presidente da Associação Interamericana de Contabilidade (AIC) e da Academia Brasileira de Ciências Contábeis (Abracicon), Maria Clara Cavalcante Bugarim, também esteve presente na sessão. A contadora disse que há onze anos estava presente no Senado em um evento de homenagem à classe e que, passada mais de uma década, via a evolução da profissão. “De lá para cá, é importante reconhecer que a profissão contábil deu saltos significativos, especialmente, quando convergiu as normas de contabilidade ao padrão internacional; modernizou a gestão operacional; mudou o perfil dos profissionais da contabilidade e das organizações contábeis; e adotou a tecnologia da informação como a sua melhor aliada. Passamos por uma série de inovações, mas também por inúmeros desafios, como os que estamos vivenciando no momento, com a inesperada pandemia que recaiu sobre a população mundial. Nesse quesito, tivemos que nos reinventar, mas também demonstramos de uma forma inequívoca a nossa essencialidade”, analisou.

As transformações apresentadas por Bugarim podem ser associadas à fala do vice-presidente de Desenvolvimento Profissional do CFC, Aécio Prado Dantas Júnior. Isso porque o contador falou sobre o Programa de Educação Profissional Continuada (PEPC) e seus objetivos, que tem sido essencial para a elevação dos padrões técnicos da classe. Dantas ainda aproveitou a oportunidade para anunciar a mais nova iniciativa voltada para a capacitação dos contadores. “Na última sexta-feira, tivemos a imensa satisfação de lançar, em parceria com o Sebrae e com a presença de seu presidente, Carlos Meles, e todo o seu staff, o programa Contador Parceiro – Construindo o Sucesso. Um programa que já nasce vitorioso porque vem justamente trazer conhecimentos em temas que são fundamentais para que os profissionais da contabilidade passem a ser, agora mais do que nunca, parceiros do empreendedorismo, parceiros do desenvolvimento do nosso país e tudo isso a custo zero para a classe contábil”, esclareceu.

Os treinamentos e o acesso à educação oferecidos aos profissionais geram impactos econômicos e sociais positivos. A manutenção da atualização em uma área que lida com as constantes mudanças do mercado é fundamental para o adequado assessoramento aos clientes e às empresas e para a construção de planejamentos estratégicos.

Os reflexos da atuação de profissionais da contabilidade bem preparados no mercado são diretamente sentidos na economia. A vice-presidente de Registro do CFC, contadora Lucélia Lecheta, destacou a importância das mais de 75 mil organizações contábeis na implementação dos programas emergenciais lançados pelo Governo ao longo do ano passado. “Segundo dados da Secretaria do Trabalho, foram 20,1 milhões de acordos feitos entre 9,8 milhões de trabalhadores e 1,5 milhões de empregadores. A imensa maioria desses acordos passou pelas empresas contábeis ou pelos departamentos contábeis de grandes empresas. E, além de auxiliar as empresas na implementação dessas medidas, fomos também parceiros dos órgãos do Governo no desenvolvimento de ferramentas tecnológicas que pudessem ser implementadas no curtíssimo prazo que a pandemia exigiu”, explicou.

O conselheiro do CFC e membro da Comissão do Imposto de Renda do CFC, contador Adriano Marrocos, apresentou pautas de interesse da classe contábil e que, no momento, encontram-se em discussões entre as autoridades e também na sociedade civil. Entre esses assuntos, Marrocos falou acerca da Reforma Eleitoral e, sobre o tema, disse ser inadmissível a alteração na lei que deixaria de exigir a assinatura do profissional contábil nas prestações de contas eleitorais.

O contador também fez um apelo para que Projeto de Lei (PL) nº 4.157/2019 seja aprovado. O documento propõe a anistia das infrações e a anulação dos débitos por atraso na entrega da Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social (GFIP). Isso porque essas penalidades não foram ocasionadas pelas empresas ou pelos profissionais da contabilidade, mas devido a problemas nos sistemas da Caixa Econômica Federal (CEF), existentes na época. O CFC vem acompanhando a tramitação do PL e enviando ofícios para autoridades solicitando a aprovação do texto.

“O Ministro da Economia, Paulo Guedes, prometeu em reunião que iria rever as multas acessórias e solicitei também ajuda do presidente desta Casa para que atue junto ao presidente da Câmara para votar logo o projeto que anistia as multas da GFIP”, explicou o senador Izalci Lucas.

Outra pauta abordada por Marrocos foi a Reforma Tributária. “De interesse máximo, tem total e irrestrito apoio do Conselho Federal de Contabilidade, não apenas pelo fato de termos profissionais contábeis dos dois lados da mesa, mas porque é necessária a construção de um modelo que simplifique obrigações acessórias, evitando a sobreposição de dados e de informações e, obviamente, a consequente repetição de tarefas”, pontuou.

A senadora Zenaide Maia (PROS-RN) também parabenizou os contadores e falou de sua importância. “Os contadores são aqueles que dão o diagnóstico, são os responsáveis para dar um diagnóstico financeiro, econômico e patrimonial, não só de uma pessoa física, mas de uma empresa e do próprio país”.

A sessão especial do Senado Federal contou com as contribuições e com a participação de outras autoridades de importantes organizações representantes da classe contábil. Entre elas estavam presentes: a presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Rio Grande do Sul (CRCRS), Ana Tércia Lopes Rodrigues; o presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Distrito Federal (CRCDF), Daniel Chaves Fernandes; o presidente da Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (Fenacon), Sérgio Approbato Machado Júnior; a diretora de Desenvolvimento Profissional Nacional do Instituto dos Auditores Independentes do Brasil (Ibracon), Shirley Silva; o presidente da Fundação Brasileira de Contabilidade (FBC), Adeildo Osório de Oliveira; e o presidente do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Asessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas no Distrito Federal (Sescon/DF), Marco Aurélio Gomes de Sá.

CLOSE
CLOSE