Por Maristela Girotto
Comunicação CFC

Um dos principais eventos nacionais voltados à auditoria independente, a Conferência Brasileira de Contabilidade e Auditoria Independente, promovida pelo Instituto dos Auditores Independentes do Brasil (Ibracon), acontece nesta segunda (10) e terça-feira (11), em São Paulo. A abertura do evento contou com apresentações do presidente do Ibracon, Francisco Sant’Anna; do presidente do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), Zulmir Breda; e do diretor da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Gustavo Gonzalez.

Zulmir Breda, Francisco Sant’Anna e Gustavo Gonzalez

Ao detalhar a programação da Conferência, Sant’Anna falou dos objetivos dos painéis técnicos da área e chamou a atenção para a abordagem de temas da agenda nacional, como as palestras Debate do cenário econômico e Diversidade e democracia. “É preciso quebrar a resistência contra as minorias e buscar todas as mudanças que afetam o país e a nossa profissão”, defendeu. O presidente do Ibracon aproveitou para anunciar um acordo de cooperação técnica assinado, recentemente, pelo Instituto dos Auditores Independentes e o Tribunal de Contas da União (TCU), visando ao intercâmbio de conhecimentos e realização de atividades voltadas ao desenvolvimento de capital humano e gestão pública, entre outras finalidades.

O diretor da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Gustavo Gonzalez, representou a autarquia e destacou a qualidade da programação. Ele também ressaltou a importância da atividade sancionadora da CVM. “Em 2018, julgamos mais de 100 processos, alguns dos quais envolvendo a auditoria”, citou Gonzalez, acrescentando: “Uma das formas mais importantes de enaltecer aqueles que fazem um trabalho sério é não ser leniente com aqueles que não fazem”.

Já o presidente do CFC, falando a cerca de 900 participantes do evento, reforçou a importância de programas como o de Educação Profissional Continuada (EPC) e de Revisão Externa de Qualidade (CRE), ambos desenvolvidos com a parceria do CFC, Ibracon e Comissão de Valores Mobiliários. “Esses são exemplos que mostram que a classe está unida na solução das dificuldades do dia a dia”, afirmou Breda, em referência ao trabalho conjunto das organizações nacionais.

A participação do CFC em entidades internacionais também foi destacada pelo presidente. “Mantemos um relacionamento estreito e harmonioso com organizações como o International Accounting Standards Board (Iasb) e a International Federation of Accountants (Ifac), entre outros”, disse.

Breda aproveitou para agradecer a Amaro Gomes, membro do Board do Iasb, pelo dedicado trabalho realizado durante dez anos na entidade internacional de emissão de normas contábeis. Gomes encerra seu mandato no dia 30 de junho deste ano e será substituído pelo também contador brasileiro Tadeu Cendón Ferreira. “Tenho certeza de que continuaremos sendo muito bem representados no Iasb”, afirmou o presidente do CFC, parabenizando Ferreira pelo início do mandato.

Os demais representantes brasileiros em comitês do Iasb e da Ifac foram citados por Breda, que os agradeceu pela dedicação e, ainda, apresentou uma atualização dos trabalhos que estão em andamento nesses comitês – International Auditing and Assurance Standards Board (Iaasb), do International Accounting Education Standards Board (Iaesb), do International Ethics Standards Board for Accountants (Iesba), do International Public Sector Accounting Standards Board (Ipsasb) e do Small and Medium Practices. “Todos os que nos representam faz com que tenhamos voz e vez nesses organismos, e isso é importante porque todo o trabalho tem reflexos no Brasil”, ressaltou o presidente.

Breda informou que o IAASB está fazendo revisão das normas de auditoria para entidades menos complexas, com a finalidade de deixá-las mais robustas. Ele também citou a discussão, nesse Comitê, sobre a elaboração de normas para empresas menos complexas. Outro tema que está em análise, no âmbito do IAASB, é o ceticismo profissional, segundo o presidente do CFC.

A adaptação das normas éticas internacionais em decorrência de questões relacionadas à segurança de dados também foi anunciada pelo presidente, que informou que a revisão desses normativos deverá chegar às normas brasileiras no início do ano que vem.

Ainda, Breda comunicou mudanças no comitê de Educação da Ifac e a indicação do brasileiro Fábio Costa para integrar esse board. O trabalho de convergência às normas internacionais do setor público foi também enfocado pelo presidente. “O nosso cronograma de implantação das Ipsas estará completo em 2024; o objetivo é fortalecer a gestão financeira pública”, disse ele.

Novo Cadastro

Ao final de sua fala, o presidente do CFC também anunciou a aprovação, possivelmente em reunião plenária deste mês de junho, da minuta que cria o Cadastro Nacional de Auditores Independentes para Pessoa Jurídica (CNAI-PJ). Segundo ele, esse cadastro será voltado a todas as empresas de auditoria, inclusive as cadastradas nos demais órgãos reguladores.

Zulmir Breda fala durante evento do Ibracon

A princípio, conforme disse o presidente, a participação no Cadastro será facultativa. As empresas cadastradas terão que cumprir os Programas de Educação Profissional Continuada e o de Revisão de Qualidade pelos Pares.

“A finalidade do CNAI para Pessoa Jurídica é promover maior controle dessas firmas de auditoria que não atuam no mercado regulado”, afirmou ele.

Fotos: Comunicação CFC