Notícias

Direto da Amazônia, contadora explica como foi a adaptação do trabalho durante à pandemia

Lorena Molter
Comunicação CFC/Apex

Contadora Miriam Amaral

A pandemia de Covid-19 impactou a saúde e a economia de todo o planeta. No Brasil, foram aplicadas diferentes medidas na tentativa de se conter o avanço da doença e também de se preservar o emprego e a renda no país.

Nessa nova realidade, contadores, de todo o território nacional, têm trabalhado sem pausas no assessoramento de seus clientes, fornecendo orientações sobre a aplicação das normas publicadas pelo Governo federal e guiando empresários sobre as estratégias mais adequadas a serem seguidas no momento.

Uma dessas personagens é a empresária contábil Miriam Amaral. Nascida em Manaus (AM), a contadora iniciou suas atividades na área como técnica em contabilidade. Mais tarde, fez a faculdade de Ciências Contábeis por gostar da contabilidade e por considerar que teria mais oportunidades. “Sempre olhei para a contabilidade como se fosse um leque de diversas possibilidades e com uma boa oportunidade no mercado de trabalho”, pontua.

Passadas cerca de duas décadas, a contadora contribui para o desenvolvimento de sua região, assessorando empresários da cidade que apresenta um dos maiores valores de Produto Interno Bruto (PIB), entre os municípios brasileiros. Amaral também participa do Programa Voluntariado da Classe Contábil (PVCC) no Amazonas. Os integrantes do programa, ao lado do Conselho Regional de Contabilidade do Amazonas (CRCAM) e de outras entidades da classe, inclusive, trabalharam intensamente nos primeiros meses de 2021 no contexto da pandemia. O grupo realizou uma campanha de apoio aos contadores amazonenses que estavam com Covid-19 e aos seus familiares. Na ocasião, foram arrecadados alimentos, materiais de higiene pessoal, Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), entre outros produtos.

Miriam Amaral em atividade do PVCC

A empresária contábil conta que a adaptação ao novo cenário foi necessária e que os profissionais não pararam de trabalhar, pois precisavam estudar e aplicar as normas e os decretos governamentais. Para dar apoio aos seus clientes, a contadora passou a se comunicar com seus clientes por meio de aplicativo de conversas no celular e pelo telefone. Isso porque as medidas essenciais de controle da doença, que incluem distanciamento social e limitação na circulação de pessoas, impediam os atendimentos presenciais.

Com a transformação nas relações sociais e de trabalho, os contadores precisaram inovar e colocar em prática algumas de suas características fundamentais: a adaptabilidade, o foco em resultados e a visão analítica. “Diante desse cenário, acredito que os profissionais da contabilidade se reinventaram e, procurando contribuir, agiram mais ainda como consultores e, assim, zelaram pelo equilíbrio econômico de pequenas, médias e grandes empresas da região”, destaca Amaral.

Realizando seu trabalho em uma das regiões mais ricas do mundo, a Amazônia Ocidental, a contadora ressalta a sua visão sobre ter a oportunidade de colaborar com o desenvolvimento de sua região. “Vejo que contribuir para o desenvolvimento sustentável da minha cidade é uma das formas de transformar uma cidade pela inovação das políticas de incentivo para empresas”, afirma.