Notícias

Estreitamento das relações entre CFC e MEC é favorecido por alinhamento de agendas4 minutos de leitura

Por Luciana Melo Costa
Comunicação CFC

Durante a realização da Milésima Septuagésima Reunião Plenária Ordinária do Conselho Federal de Contabilidade, o presidente Zulmir Breda recebeu a visita do secretário de Educação Superior do Ministério da Educação (MEC), Wagner Villas Boas. Na oportunidade, o presidente do CFC apresentou aos presentes a agenda propositiva estabelecida com o órgão.

De acordo com o presidente do CFC, entre as propostas discutidas com a Secretaria de Educação Superior (SESU) estão a construção conjunta de uma recomendação de grade curricular para o curso de Ciências Contábeis, o estabelecimento de uma área própria para a Contabilidade desvinculando-a como subárea da Administração, encaminhamento de pareceres para subsídio à autorização e acompanhamento de novos cursos e a corroboração de cursos já existentes e a revalidação dos diplomas estrangeiros, principalmente os obtidos em Portugal.

“Essa é a pauta de assuntos que estamos tratando com o secretário Wagner e tem sido muito bem acolhida pelo secretário, especialmente pela sua facilidade de entender e conhecer a nossa área, as nossas questões e dificuldades.”, afirmou Zulmir.

O secretário, que iniciou a carreira como técnico de Contabilidade e posteriormente tornou-se bacharel em Ciências Contábeis, reiterou o interesse do MEC em estreitar as relações com o CFC. Segundo o secretário os anseios do conselho estão todos alinhados com aquilo que a SESU quer executar. “As pautas que vocês têm para o curso de Ciências Contábeis estão todas alinhadas com os interesses da Secretaria da Educação Superior.”, disse o secretário.

Reconhecimento – Ao falar para o público presente, o secretário de Educação Superior do Ministério da Educação falou com muito carinho sobre a profissão escolhida. “Eu devo a minha vida às Ciências Contábeis. Meu primeiro concurso público foi de técnico em contabilidade e atuei na Previdência Social (INSS) durante muitos anos. Lá fui coordenador de contabilidade”, afirmou.

Wagner ressaltou ainda que, embora não esteja atuando diretamente na área, a contabilidade ainda é o parâmetro da sua vida profissional. “Presidente, eu sou muito grato ao que a contabilidade fez por mim. Hoje eu não estou atuando diretamente na área. Depois do mestrado e do doutorado, eu procurei abrir um pouco mais o leque para ir mais para a área de gestão. Eu tenho focado mais nessa área, mas a contabilidade é que me dá a base para a inovação e para a gestão pública.”, disse.

Importância da profissão – O secretário ressaltou ainda a importância do profissional da contabilidade. Para exemplificar o fato, Wagner contou que a implementação de uma universidade federal somente se inicia com a nomeação de um reitor e de um profissional de contabilidade, pois sem os respectivos Cadastros de Pessoa Física (CPFs) e, principalmente sem registro desse profissional, não é possível criar um Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) e registrar a unidade gestora no Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (SIAFI).

Wagner destacou ainda que o profissional da área é quem dá ao gestor o respaldo técnico e faz o controle e o acompanhamento prévio, concomitante e posteriori da execução orçamentária de órgão e de empresas públicas e privadas.

“O gestor, seja ele público ou privado, que reconhece a importância do profissional de contabilidade para a gestão está na frente de quem não tem esse reconhecimento. A contabilidade dá o respaldo para a gestão, o respaldo técnico. Eu costumo dizer para os meus superiores, e agora para o ministro, que a contabilidade é que protege o CPF dele.”, analisou.

Por fim, o secretário voltou a salientar a importância da aproximação do CFC e do MEC para o reforço da área de Ciências Contábeis no que tangue à educação profissional. “Nós nos colocamos à disposição para ajudar nessa articulação de criação de processos simplificados de reconhecimento de diplomas, não só de graduação como também da revalidação de diplomas de pós-graduação, mestrados e doutorados, que tem o fluxo um pouco parecido. Então, nessa linha, eu quero agradecer o convite e dizer que as portas da SESU estão abertas para a gente começar a trabalhar nas propostas e avançarmos.”, concluiu o secretário.

Ao final da visita, os dirigentes do CFC e da SESU definiram compor uma agenda para a realização de reuniões entre os técnicos das instituições para alinhamento das pautas apresentadas ao secretário.

Plenária – A milésima septuagésima Reunião Plenária Ordinária do CFC aconteceu durante todo o dia de ontem (19) e marcou o retorno das reuniões presenciais na entidade. O evento, realizado na sede do CFC, em Brasília (DF), reuniu representantes e conselheiros dos 27 Conselhos Regionais de Contabilidade e obedeceu a todos os protocolos de segurança sanitária necessários a essas ocasiões.

A reprodução deste material é permitida desde que a fonte seja citada.