Notícias

Presidente da AIC fala sobre o combate à corrupção na América Latina

Por Rafaella Feliciano
Comunicação CFC

Presidente da AIC – Contadora Maria Clara Cavalcante Bugarim – Foto: Glaucia Almeida

“Não podemos continuar passivos frente à corrupção. Temos uma responsabilidade imensa e estamos aqui encorajando a classe para esse enfrentamento”. Com essas palavras, a presidente da Associação Interamericana de Contabilidade, Maria Clara Cavalcante Bugarim, iniciou a sua palestra durante o Seminário Regional Interamericano de Contabilidade, realizado nesta quinta-feira (31), durante o IX Encontro de Contabilidade da Amazônia Legal, que acontece em Santarém (PA).

Abordando a temática do combate à corrupção na América Latina, Maria Clara trouxe dados do Barômetro Global da Corrupção (BGC), que realizou, entre janeiro e março de 2019, um levantamento com mais de 17 mil cidadãos em 18 países da região. Segundo a pesquisa, 53% das pessoas acham que a corrupção aumentou nos últimos 12 meses, e 85% acreditam que a corrupção no âmbito governamental é um grande problema.

Em um painel com a presença de cerca de mil participantes, a presidente da AIC ratificou a importância do profissional da contabilidade para um desenvolvimento econômico sustentável dos países da região. Segundo ela, a transparência e a ética são aliadas importantes dos contadores nessa missão.

“Somos cientistas de dados e precisamos trazer à luz a realidade econômica de nossos países. Assim, oferecemos à sociedade o direito à informação para que ela possa contribuir, de forma proativa, no combate à corrupção”, ressaltou.

Maria Clara informou que a AIC assinou um acordo de cooperação técnica com o Ministério da Transparência do Brasil para unir esforços ao combate à corrupção nos países da América Latina e Caribe. Ela disse que a ideia é criar a Rede Contábil Latino-Americana de Integridade, que tem como objetivo aperfeiçoar e ampliar ações de controle e participação social para a melhoria da responsabilização de agentes públicos e privados e, consequentemente, fomentar o combate à corrupção.

“Por meio de ações integradas, eventos regionais, apoio mútuo e intercâmbio de experiências e informações, queremos capacitar os agentes da América Latina e Caribe na detecção de fraudes e prevenção de irregularidades”, explicou Maria Clara.

O vice-presidente da AIC, Hector Jaime Correa Pinzon, da Colômbia, também participou do painel e comentou sobre a aplicação da Norma Internacional sobre Controle de Qualidade em seu País para auditoria e revisão de estudos financeiros. Segundo ele, manter um sistema de qualidade pode “proporcionar boas práticas, transparência e melhoria da aplicação dos recursos financeiros.”.